Diocese de Teófilo Otoni
Diocese de Teófilo Otoni
PARÓQUIAS

São Benedito - Teófilo Otoni

Teófilo Otoni - MG


Rua Alberto Barreiros, 184 – Vila Barreiros

39803-330 – Teófilo Ottoni – MG

E-mal: benedito.p.s@hotmail.com

PÁROCO: Pe. Luciano Campos Lavall

Nasc: 23.03.1956 – OP: 08.09.1979

SECRETÁRIA: Silvânia Paula Amaral da Silva

Telefone: (33) 3521-3890 / 99919-6183

ERIGIDA: 01.JUN.1987

Com a expansão da cidade para a Zona Sul, e o surgimento de grandes novos bairros nesta região, a Paróquia São Benedito, desmembrada da Paróquia Catedral da Imaculada Conceição, foi criada e erigida canonicamente em 1º de junho de 1987, quando foi nomeado o seu primeiro pároco, o Pe. Amaro Aparecido Avelino, e tendo como sede a antiga capelinha de São Benedito, situada à Rua Alberto Barreiros, nº 174, no Bairro Vila Barreiros, em Teófilo Otoni.

A nova Paróquia nasceu da necessidade de um melhor atendimento e maior zelo evangelizador desta imensa região da periferia de Teófilo Otoni, em crescimento constante, que abriga, na zona urbana, os Bairros Filadélfia, Vila Frei Júlio, Pindorama, Vila Esperança, Vila Barreiros, Vilinha, Jardim São Paulo, Vila Nova, Vila Jacaré, São Benedito e Taquara, e, na zona rural, as comunidades de Vila da Palha, Cedro Eldorado, Santa Luzia, Criciúma, Brejão do Cedro, São José da Água Fria, Córrego dos Índios e Potonzinho, num total de 19 comunidades.

Em março de 1988, a Paróquia recebeu a Comunidade das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, que veio para o trabalho pastoral e para o encaminhamento social dos problemas das nossas comunidades.

A partir de então, deslanchou-se a ação evangelizadora e a Paróquia encontrou os seus rumos, a sua trajetória, a sua linha de trabalho expressa na vivacidade de suas comunidades e no crescimento humano e cristão de seus membros.

Com a saída do Pe. Amaro para a Arquidiocese de Santo Amaro (SP), a paróquia ficou acéfala por três anos, tendo a condução direta das Irmãs Filhas da Caridade e um atendimento em mutirão pelo conjunto dos Padres da cidade de Teófilo Otoni.

De 1993 a 1996, teve como pároco o Pe. Celestino Grillo, cujo dinamismo empreendedor dotou as comunidades urbanas e rurais de infra-estrutura de salão-capela e construiu o grande Santuário Diocesano de Nossa Senhora Aparecida no bairro Taquara, deixando a paróquia em outubro de 1996.

No dia 15 de novembro de 1996, assumiu o Pe. Luciano Campos Lavall, que vem conduzindo os trabalhos até o presente momento com o objetivo de fazer da Paróquia uma Rede de Pequenas Comunidades Eclesiais de Base,através de intensa formação de agentes de evangelização, priorizando o desenvolvimento humano-social das Comunidades, ao lado da sua conscientização político-cristã e do fortalecimento da dimensão litúrgica e celebrativa da vida do povo.

A Paróquia São Benedito abrange uma superfície de mais ou menos 300 km2, com uma população de aproximadamente 222.000 habitantes.

Comunidades Urbanas

  • os bairros Filadélfia e Frei Júlio: Comunidade da Sagrada Família

  • os bairros Pindorama e Solidariedade: Comunidade São João Batista

  • a Vila Esperança e adjacências: Comunidade Nossa Senhora da Esperança

  • os bairros Vila Barreiros e Vilinha: Comunidade Matriz

  • o Jardim São Paulo e adjacências: Comunidade São Paulo

  • a Vila Jacaré e adjacências: Comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

  • o bairro São Benedito: Comunidade São Pedro

  • o bairro Taquara e adjacências: Comunidade Nossa Senhora Aparecida

Comunidades rurais

Vila da Palha

Cedro Eldorado

Santa Luzia do Cedro

Criciúma do Cedro

Brejão do Cedro

Água Fria

Córrego dos Índios

Potonzinho

Fonte:http://paroquiasaobenedito.net.br/?page_id=41


Publicado em: 23/04/2018


PALAVRA DO PAPA

 

"Nunca, nunca, nunca insultar os outros, os pais. Nunca insultar o pai, a mãe. Nunca. Tomem esta decisão interior. A partir de hoje nunca insultarei o pai ou a mãe de quem quer que seja. Nos deram a vida. Nunca insultá-los”,

PAPA FRANCISCO

PALAVRA DO BISPO

Sé vacante ou Sede vacante (do latim Trono vazio), no direito canônico da Igreja Católica Romana, corresponde ao período em que a Sé episcopal de uma Igreja particular está sem ocupante.[1] Isto significa que para uma diocese, o bispo diocesano faleceu, renunciou, foi transferido ou perdeu seu ofício. Caso haja um bispo coadjutor, com direito a sucessão, na diocese este é imediatamente conduzido ao governo da Sé episcopal e esta não fica vacante.

 

PADRE AURILDES - Administrador Diocesano